quarta-feira, 25 de agosto de 2010

dια 25 ▫ Coisas Normais e Nojentas

Este texto que você vai ler me lembra de 2008, quando o post mais engraçado deste blog era aquele em que eu escrevi algo do tipo: “Abri a janela e cuspi uma bola de catarro verde em cima de uma formiga”. Bons tempos. Ainda me lembro como se fosse ontem... Bem, aquilo foi nojento, e não engraçado, mas as pessoas insistiam em dizer que aquele era o meu melhor post, até surgir o do Natal, que escrevi em meados de dezembro de 2009, e também o da mortadela, que pra mim não tinha nada em especial; agora o do Natal sim, que tive um certo trabalho e tive que forçar bastante pra escrever algo que entretesse – é, eu não sou bom com essas coisas 'como o Sali'.
Com base naquele texto, percebi que as pessoas gostam de ler coisas nojentas, ou pelo menos não ligam se lêem. Ta, eu não tô me importando com a opinião alheia, só estava com receio de falar sobre assuntos, digamos, delicados aqui, mas que no final das contas, é uma das coisas mais comuns do mundo – ou não.
O que quero dizer é: se eu falar sobre drogas, racismo, homossexualismo, dizer que faço cocô, que vomitei em mim mesmo quando estava de porre, que acordei de pau-duro certa manhã, ou coisas desse tipo em geral, acabo perdendo a credibilidade, mas se vocês pararem pra pensar, são coisas mais que normais, e todos somos seres humanos e iguais perante a Deus então, eu vou falar sobre o que eu quiser nessa porra e quem não gostar vai tomar no olho do cu – e se comentar xingando vai levar uma resposta pior ainda.


Ontem com todos aqueles meus testes de passar ovos no cabelo, e comer os que não deram certo, derivou em algo um tanto curioso.
Estava tomando banho e aproveitei o momento sem preocupações de melecar a mim ou ao chão, e comecei a assoar o nariz sem dó nem piedade, com tanta força que a minha orelha até chegava a zunar (existe essa palavra?). Comecei a achar estranho o fato de eu assoar, assoar, assoar e assoar mais, e (só mais uma vez xD) assoar, e não parar de sair catarro nunca; mas isso não foi nada grave; fiquei preocupado mesmo foi quando eu comecei a reparar NAS assoadas. O meu catarro tava saindo AMARELO, mas LITERALMENTE AMARELO. Não era branco, nem verde, nem azul ou cor de rosa, era amarelo, e amarelo mostarda ainda.
Na hora eu tive até um certo medo, pois era exatamente da cor da gema do ovo que outrora havia passado na cabeça, e achei meio impossível acontecer algo desse tipo. Já ouvi dizer em cheirar cocaína e descobrirem pelo cabelo, ou quando você bebe coca-cola e sai pelo nariz, mas o negócio entrar no couro-cabeludo e sair pelo naso é realmente ridículo!
Eu comecei a ficar realmente preocupado com isso, mas segundo a minha mãe é um processo natural (ela não falou com estas palavras, eu que tô enchendo a bola da velha), e até quis acreditar nela, ainda desconfiando, mas infelizmente, a coisa piorou. Hoje de tarde, já estava mais uma vez me sentindo incomodado com o maldito catarro pedindo pra sair, e escarrá-lo e cuspi-lo não estava adiantando de nada, então tive que ser corajoso e fui lá na pia e, mesmo com receio, tapei o buraco esquerdo do nariz e soltei tudo pelo direito. Saiu sangue – ou pelo menos eu quero acreditar que seja sangue, porque pela cor parecia ser algo bem pior, e não me pergunte o que, porque em toda minha vida nunca vi nada parecido antes.

Como sempre, pra tudo eu tenho uma teoria própria em que finjo ser realmente o problema para que as coisas sejam mais fáceis: pra mim, esse tanto de catarro que não pára de sair, seja amarelo ou vermelho, é todo o catarro da minha vida que estava guardado dentro de mim, e que agora junto com esta gripe e com os remédios que tomei, deve ter desencadeado algum tipo de reação que liberou essa porra toda.
Mas claro que não da pra viver achando que tudo é mil maravilhas. Também pensei nos contras, as teorias de possíveis coisas ruins que (provavelmente) possam ser isso:
Talvez pela cor amarelada e pela grossura, isto que está sendo expelido de mim são pedaços do meu pulmão; ou o pulmão é mesmo verde? – o pulmão é verde, não é O_o? ou seria branco? só sei que os pulmões de John Constantine são pretos. e só sei também (o que descobri não faz muito tempo) que os pulmões ficam nas costas.
-
Talvez seja porque deixei de tomar uma vacina ae com 15 anos de idade.
Mas não descarto a possibilidade de que sejam problemas causados por toda a quantidade de drogas que ingeri ao longo destes anos.
-
Um dias destes comecei a cuspir sangue, e ingênuo que sou, mais uma vez inventei uma de minhas teorias, e desta vez pensei (e quase cheguei a acreditar) que era um vampiro – era uma época que todo dia eu tomava suco de uva e meus lábios ficavam roxos e bonitos.

2010 pelo que tudo indica tem sido um final ou inicio de década amaldiçoado.
• Comecei me acidentando NO PRIMEIRO DIA DO ANO tentando subir pela primeira vez na vida em uma prancha de surf com o Rodrigo Ramos num dia chuvoso na praia de frente pra casa do meu pai. Quando TENTEI montar na prancha, ela virou com uma força desgraçada e bateu certeira no meu nariz que de imediato começou a sangrar, e até hoje ainda dói se eu apertar aquele ossinho em cima. Por sorte não quebrou (eu acho).
• Tive a primeira – e acredito que a pior – ressaca da minha vida, junto com uma bebedeira desgraçada que me fez pagar um mico da porra na cidade. Ainda bem que o álcool fez com que não me preocupasse muito; só uns dias depois em que tinha passado em frente a uma barraca e vi um cara que me vendeu uma munhequeira rindo da minha cara.
• Fiquei com uma feia magricela e uma gorda pé no saco por falta de opção, e hoje mais uma vez estou há quase 2 meses sem pegar ninguém. Mas também prometi para mim mesmo nunca mais chegar nem perto de baranga.
• Arrumei briga na escola com uns funkeiros arrombados, e depois tive que ser transferido para o meu antigo colégio para não morrer assassinado.
• Em menos de 300 dias eu já fiquei rouco (se não me engano) 3 vezes, gripado 5, senti estranhas pontadas na barriga, inúmeros momentos depressivos por causa de mulheres e sem contar também aquelas dores de cabeça uns dias atrás.

É, amigos, não adianta ficar criando esperanças... No final das contas, é só a morte chegando.
E como diria Dumbleodore: “Pra quem já viveu o bastante, morrer é apenas o próximo passo”.
E como diria um drogado que vi num filme certa vez: “Viva pouco, mas viva intensamente”.


PS: Acabei de ler o antigo texto do catarro e fico impressionado como eu era ingênuo.
Porém escrevia melhor naquela época. Melhor entre aspas.
Como que pôde o meu vocabulário regredir? Acho que nunca serei um escritor =/