quarta-feira, 1 de outubro de 2008

dια 01 ▫ Minha Primeira Cocaína

...Eu só quero dar saltos com minha bicicleta, mas neste instante recebo um telefonema. Meu tio dizia para ir ajudá-lo na peça de teatro, discuti com ele, disse não, não e não. Sem pensar duas vezes desliguei o telefone.
Voltei aos saltos, só que desta vez saltei tão alto, tão forte, tão longe... Me senti voando sobre duas rodas, ela saltava e saltava, de metros à metros, não se via mais o chão a baixo de mim... Segundos depois sentindo o cheiro do asfalto, me deparei com o mundo lá em baixo. Quando caí, era minha vizinhança, ruas redondas, casas padrões. Meu tio saiu de casa - louco, extremamente louco -, sem perguntas me levou para o teatro, quando olhei ao meu redor já estava lá dentro, várias pessoas, todas em seus lugares. Eu estava no palco, olhei para as cadeiras, estavam vazias. No palco, se encontravam umas 5 pessoas. Eles e elas discutiam sem parar. Assustado e confiante com toda aquela situação, me apoderei de uma faca, furei o braço de um sujeito forte, grande e alto; que estava ao meu lado. Ele olhou pra mim, irritado, tirou a faca de minhas mãos, jogou-a com tanta força para cima, em um fundo branco que acertou um rapaz, que trabalhava naquele momento.
Longe de todo aquele tumulto, agora eu estava no portão do Aracy, saindo pela secretária. Na velha e larga Av. São Paulo, olhei portão a fora e avistei outros alunos; alguns seguindo seu rumo, alguns sentados nos bancos da praça adiante. Como de costume, do meu lado estavam, Lucas e Bruno, dois colegas de classe. Comentei sobre o teatro, disse que não fui pago por meus atos. Com sorrisos maléficos eles olharam para mim
_ Você precisa do dinheiro? Quer ganhar fácil? – Disse o Bruno
_ Sim, claro! – Respondi com firmeza.
Tirou duas carteiras velhas da mochila. Já em minha posse verifiquei ambas. Com espanto e animação, toquei em cada nota de U$$100. Mais fundo de cada carteira havia pequenos sacos de cocaína. Com medo perguntei "Pra que isso?", e ele só respondeu "Você vai gostar".
À caminho da Tricolor, eu já estava eufórico de curiosidade, abri o pequeno saco, retirei uma pequena porcentagem, coloquei diante do nariz, com coragem aspirei tudo. Nada foi imediato, eles só entreolharam-se com risos, coloquei a droga no bolso e prossegui, na feira de artesanato, eu vi dois carros de polícia. Com medo, tentei disfarçar o máximo possível. Tentei evitar mas não consegui, olhei para cara dos homens da lei por uma fração de segundos, eles não desconfiaram. Peguei um pequeno panfleto amassado, levantei a mão esquerda e o soltei, aquele papel foi livremente pelos ares. Tentei colocar os pequenos sacos na mochila do Bruno, não queria acabar com a minha vida tão cedo. Sinto euforia, sinto-me no céu, usei mais um pouco do pó branco. Comecei a correr pelas ruas do Centro da cidade, feliz como nunca, gritei: "Mas eu.. Eu posso voar!", correndo nas calçadas, pulando para frente, eu flutuava, não havia gravidade, eu estava voando, literalmente voando. No fundo de meus pensamentos eu sabia que nada fora real, eu só sabia que a droga tinha me levado tal prazer, só me deu vontade de usar mais e mais.
Pés no chão; virei a banca de jornal, agora na Av. Getúlio Vargas. Carros de policia em todos os lugares, subi rapidamente as escadas do Shopping Gandara, entrei na Tricolor, estavam todos lá. Fiquei curioso ao ver o prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão. Apertamos às mãos, na minha cabeça só havia a questão "Porque um prefeito de Praia Grande estaria fazendo campanha em Mongaguá?".
Em um pequeno dialogo com a minha irmã, perguntei:
_ Laura, o que esses polícias estão fazendo aqui?
_ Estão procurando a cocaína! – respondeu ela com ferocidade.
Depois de ter ouvido esta resposta, me senti horrível, como se fosse o centro de um tumulto, eu sabia que aquilo tinha sido uma indireta. Eu pensei em esconder elas no banheiro, mas se eles me vissem entrando lá saberiam que fui eu. Com esperanças de acabar com tudo aquilo, eu disse alto: "Estou indo lá em cima", o irmão do meu pai, Daniel, disse: "Eu vou no 3º andar". Senti um medo de que ele fosse me seguir; que ele soubesse o que eu tinha causado. Saí correndo em direção das escadas, subi até o 2º andar, me escondi em um corredor, atrás de uma parede, vi ele subindo à escada, em direção ao andar superior. Agora me senti seguro, fui correndo pelos corredores, frustrado, procurando algum lugar para me livrar daquilo, olhava para os cantos das paredes. Não estou achando! Não estou achando!, e agora? Onde eu vou esconder... Estou sentido meu tempo acabando, estou confuso. Cheguei ao ultimo corredor, não tinha mais lugar pra ir. Tirei as drogas, larguei elas em um canto. Agora meus pensamentos eram "Eu vou voltar, eles não vão me achar com nada, as drogas vão estar lá em cima, e outro leva a culpa".
Corri pelos corredores em direção a escada, desci a primeira rapidamente, parecia que não tinha fim, por um momento pensei ter visto fantasmas. Desci mais um degrau, olhei pra cima para confirmar. Eu vi várias pessoas reunidas, olhando pra mim, cada vez que descia mais eu tinha certeza que estava vendo fantasmas, eu sabia que aquilo era efeito da droga, mas havia se tornado realidade, tudo dentro de mim. Aquela imagem estática de pessoas em cima de escada me olhando me lembrava algo familiar, por um momento pensei que fosse um pôster do Slipknot que tinha em meu computador, mas eram fantasmas, fantasmas criados pela minha imaginação? Eles saíram de seus lugares, aquele que parecia ser uma mulher, um vestido branco, seus cabelos tampavam sua face, aterrorizante.


Os degraus que não tinham fim chegaram ao fim. Corri pelo primeiro piso em busca de ajuda, mas eu sabia que ninguém, além de mim veria ela. Ela corria atrás de mim, não parava e nem se cansava, quando cheguei em frente a Tricolor, ela se prendeu em minha cintura, não deixava eu sair, ela queria me levar, eu sabia que aquilo era tudo por causa da droga, mas parecia mais real do que a própria realidade. Eu olhava para dentro da loja e não percebiam, consegui me soltar, corri para dentro da Tricolor. Enfim seguro, naquele momento eu só não queria sentir os contras da droga, não queria mais a droga.


Medo, medo, medo e mais medo. Me libertei, olhos arregalados, apertei os lençóis de minha cama. Acordei de um sonho? Ou seria um pesadelo?

terça-feira, 30 de setembro de 2008

dια 30² ▫ Celular Novo

Parte 1: http://raulizar.blogspot.com/2008/09/30a.html

Liberdade! Cheguei na Tricolor e minha irmã perguntou:
_ Já? Chegou cedo!
_ É, dei a fuga. Laura, compraram o almoço?
_ Não, só pedi uma marmita. Seu pai – é assim que chamamos o nosso pai – disse que ia trazer comida da casa da vó.
_ Ahh, ta!
Nem deu pra mim usar nenhum computador, todos estavam ocupados, fiquei conversando um pouco com a Gisele sobre Friends, mas depois eu vi pela janela meu pai chegando de carro com a minha mãe. Vi que minha vó estava no carro, e fui descer pra falar com ela, eu tava com saudades. Descendo a escada minha mãe disse: "Sua vó quer falar com você", aí eu disse: "Já tava indo lá mermo". Fui até o carro, e sem suspense ela puxou um celular da bolsa e disse:
_ É pra você
_ Ahhh, brigado vó!
_ Ele é meio antiguinho, depois te dou um que tira foto.
_ Ah, não precisa não, não se importa esse é muito loco.
_ É que eu sempre ganho grátis de 6 em 6 meses. – Essa parte eu não entendi :S
_ Ah, mas eu gostei desse aqui, é mó lindo. – Não é um celular modernooo, mas é preto, e fino *-*, e tem um layout legal. Pra um fudido que queimou o computador e teve sua bicicleta roubada, esse é o fim de uma grande maré de azar.
Subi as escadas todo eufórico, cheguei mostrando o celular pro povo, e o Thiago já fez aquela cara de bunda e começou a rosnar coisas do tipo: "A Vó ta fudida, ela te deu um celular, e pra mim nem deu. Ela sabe que eu preciso mais que você!". Eu olhei pra cara dele ._. "Oxi, ela nem é sua vó. Quer dizer, ela me conhece há mais tempo... Ahh, ela deu pra mim, foda-se".
Com R$3,00 que a Laura havia me dado para comprar um lanche, eu gastei com dois gordurosos e queimados bolinhos de carne da padaria 'Ouro Bianco'. O carinha que vendia lanches gostosos a R$1,00 fechou a loja dele em cima do Bradesco.
Peguei um real no caixa, a sacola que trouxe de casa e fui pra lanhouse do Alexandre. Subi para o ônibus e sentei logo no meio, eu tava com medo de o ônibus virar antes do caminho de chegada, ou fazer um trajeto diferente... mas com medo mesmo eu fiquei foi da tiazinha que sentou do meu lado. Caralhoo, sempre sentam do meu lado com o ônibus vazio! A mulher parecia louca, ela dava uns tic's com a cabeça, ficava se contorcendo e olhando pra minha cara, eu agarrei firme a minha sacolinha e virei o celular pro outro lado, comecei a fuçar os recursos, poucos, mais ainda sim recursos. Quando vi que o ônibus tinha chego até a escola que ficava em frente a lan, comecei a descer junto com o povo, agradeci o motorista e fui em direção a lanhouse. Lá tentei ajudar o Alexandre a concertar a rede, tinha um molequinho baixinho e gordinho, que veio sei lá da onde e ficou olhando o que estávamos fazendo. Ele não se tocava que já podia ir embora! Tentamos instalar alguns jogos, mas com a lerdeza que tava aquele servidor não deu muito certo não. A única coisa que consegui foi colocar um serial no Counter-Strike sahuashuahsu. Com a ajuda do Joelson, pelo MSN, tentei fazer um server pra jogar em rede o_o.
Depois acabei brigando com uma pessoa que não queria, eu acho.
Sai de lá, fui pra casa do Leonardo, e ficamos conversando sobre isso, até umas 3 horas da manhã. Quando cheguei em casa, levei muitas broncas.

dια 30¹ ▫ Aquele dia na Escola

  Bela terça feira! Não consegui acordar (como sempre), depois de ter chegado em casa às 01:30 da manhã... Quando ouvi a voz da minha irmã entrando em meu quarto, dei um salto da cama, ela perguntou: "Não vai trabalhar hoje?" e eu respondi: "Vou! Já to até arrumado", saí pegando as roupas jogas pelo chão do quarto, peguei uma calça com os bolsos rasgados e vesti, abri o guarda-roupa, olhei de ponta à ponta todas as camisas pretas, pensei um pouco e escolhi uma preta.
  Hoje minha mãe foi junto comigo, ela ia ficar zambuletando por Mongaguá, abri minha pasta de serviços no computador e vi que estava lotada. Não lembro os serviços que eu fiz, lembro-me de um pôster, era uma garotinha morena, com manchas no rosto. Tirei as manchas dela, troquei o fundo branco e coloquei um branco, uma margem laranja em volta, e em baixo escrevi "Maria Luisa 01º Aninho". Fora isso naum to lembrado de mais nada, quando deu 12h30minh me lembrei da escola. Eu não sabia se ia ter aula hoje, olhava sem parar pela janela, pra ver se tinha algum trouxa à caminho. Com a minha mania insuportável de olhar para o espelho de 1 em 1 minuto, entrei no banheiro, dei uma mexida no cabelo, aproveitei para tirar água do joelho (sempre quis dizer isso *-*), depois voltei pra sala. Olhei pela janela pela ultima vez, vi um carinha que sempre passa pela Getúlio Vargas.
  Ele nem deve imaginar, mas ele é meu ponto de partida. Se ele vai pra escola, é porque eu sei que vai ter aula. Se ele não vai, é porque não vai ter aula. Se ele não vai, e tem aula, bem... aí quem se fode sou eu, né?!

  Na pracinha em frente a escola, não haviam muitos alunos. Só os maconheiros que sempre ficam ali em frente, os pais corujas que levam seus filhos cdf's, as garotas do Expressão – uma escola particular pra pobre metido a rico (segundo a minha professora de Geografia, Vera Ledo) – que passavam lá em frente pra a gente ficar de olho em suas nádegas bonitinhas e tinha também só um moleque da minha sala, o Guilherme. Sentei do lado dele no banquinho e perguntei sobre a aula de ontem, ele disse que não teve nada demais, disse também que hoje íamos sair às 14h. Tocou o sinal e como só havíamos nós dois, íamos dar o fora, mas daí ele decidiu ir na secretaria para pegar um papel pra trabalhar de guardinha na prefeitura. Na secretaria eu vi o Jé passando no corredor, ae resolvemos ficar (no sentido de se estabelecer). Entramos pela porta da secretaria mesmo, tomei rumo pra classe. Primeira aula era Geografia, e a segunda era Geografia também sauhash. Os alunos da 8ª A eram poucos hoje, só tinha umas 3 garotas e uns 3 garotos (contando que eu já sou um homem (H)). A professora – a mesma citada à cima - entrou na sala de aula, e logo atrás dela vieram alunos da 7ª série, e no meio deles estava a minha 1ª filha, Thalita \o/. Depois de uma guerra de balas doce – iniciada pelo Jefferson – vieram as gracinhas que me prejudicavam, ele escondeu o meu estojo dentro da outra sala, aff, como seu eu não soubesse que tinha sido ele, dã! Fiquei um tempo sentado com a minha filha, ela me chamou para ir na casa dela na 5ª feira, que ia um povo da escola para assistir filme lá, e eu todo emocionado por ter recebido o convite, aceitei, claro! xD A Professora Vera Ledo – criativamente apelidada pelos outros alunos de Vera Rego – passou uma lição interessante. Eu gosto de lições interessantes, elas me fazem lembrar que a escola as vezes tem algumas utilidades e benefícios. Era um texto que falava sobre, as pessoas que nascem em um local e vivem até a morte, e as pessoas que migram para locais distantes. Passou uma questão: "Se você fosse migrar para outro país, qual país seria?", e eu na pressa para voltar a jogar com o Canarinho, respondi o primeiro que me veio na cabeça "Eu mudaria para os EUA, porque apesar de ser praticamente o centro do Planeta Terra, é um país que muitos gostariam de ir. E conheço um cara que mora lá, e disse que a tecnologia é avançada e os preços muito baixos".
  Tocou o sinal novamente, já estávamos na 2ª e ultima aula :B, a profª. mandou irmos para uma sala onde se encontrava a 5ª série O_o. Fomos todos juntos nos unir com a pivetada, ela passou um livro e mandou ler 4 páginas, eu tava de saco cheio e nem fiz a droga da lição. Nada de legal dentro daquela sala a não ser atrapalhar a aula das crianças. Um molequinho que sentava lá na frente começou a se aparecer, acho que ele queria nos impressionar, afinal somos os alunos mais velhos x). Esse mesmo moleque tacou errorex na cara, e pra deixar mais divertido tacou na cara do amigo sentado a direita, kkkkkkkkkkkkkk rachei o bico de ver a cara deles. Cansado de não fazer nada, fui para a porta da sala de aula. A tia (expectora) tava tirando cadeiras de uma sala e colocando em outra, eu como bom aluno que sou, perguntei se ela queria ajuda, como já era de se esperar ela disse que sim huioheahiahieoeaeioaehiehehe. Levei a mesa e a cadeira ao mesmo tempo, para a sala 10 (que nem ela falou pra fazer ;D). Tocou o sinal novamente e saímos voando pela porta, a Profª. Simone perguntou onde tava meu bilhete, eu respondi "Ah, claro... Que bilhete?" Ela disse que era um bilhete com a autorização do responsável, para liberar a saída do animal. É obvio que eu não preciso de um bilhete ridículo desse, só que na hora eu bem que queria ter um ¬¬’. A Profª. sumiu pelo pátio e eu aproveitei a deixa para abrir a porta e dar o fora, quando eu abri tinha um mulher vindo pelo outro lado o_O. A minha Ex Profª. de Geografia estava indo embora naquele momento, ela saiu e avisou pra tia (uma outra expectora) que estávamos tentando fugir. A muié veio, fechou a porta e saiu. Logo atrás de mim surge o Jé do nada, ele me deu um empurrão pro lado com aquela pança e abriu a porta, eu saí correndo porta a fora, ouvi gritos de alguém falando pra voltar, mas nem olhei para trás.

Parte 2: http://raulizar.blogspot.com/2008/09/30b.html

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

dια 12 ▫ Passeio na Motoca

  Hoje é o aniversário da Natálinha, liguei pra ela para dar os parabéns – Que nem eu havia prometido –, só não esperava que fosse ficar 4 horas com ela no telefone, falamos de assuntos tão variados, desde as eleições americanas à queda da economia HAEihAEIHOiohea. Falar em queda na economia, nem quero ver a conta de telefone uhashuaush. Bocejei bastante, dificilmente desliguei o telefone e fui dormir, às 04h.



  Estava de manhã, quando derrepente algo abre a porta do meu quarto e puxa meu cobertor. Era meu tio me acordando, tão cedo, eram só 10:30! Caralho, tava tão bom o sono, os sonhos... (6) Então, depois de ter feito um comentário do tipo "Nossa, que perna peluda é essa?", minha mãe responder "É, tem mais pelos que o pai dele" e eu, em pensamentos... "Pronto, acho que isso é herança da mãe deles".

  Não deu tempo nem de me espreguiçar e meu tio já foi me chamando pra ir na casa dele para arrumar o computador. Dei uma passada antes no Supermercado São José, só havia um moleque na minha frente, uma demora dos inferno, ele começou a pedir mortadela, presunto, queijo, salame... No balcão tinha uma atendente, só que a retardada olhava pra minha cara e não me atendia, porra meu, quê que aquela trouxa estava fazendo ali se ela não trabalha?! Cacete! Tempos depois peguei o santo pão e saí fora. Coloquei um capacete e subi na moto do meu tio, a lambreta, saiu no maior pau. Chegando na marginal ele começou a correr e voar pelas lombadas, tomei um susto quando vi ele tentando ultrapassar um carro pela direita, eu olhei, parei meu cérebro naquele momento e pensei "Ele não vai fazer isso!", quando olhei pro lado só vi a janela direita do veiculo branco ao meu lado... – DIACHO! ELE TEM CARTEIRA DE HABILITAÇÃO? – Na hora fiquei no cagaço de o carro dar uma fechada em nossas pessoas... Já estava ficando acostumado quando ele fez isso mais 3 vezes durante o trajeto ^^! Eu já estava na expectativa de que ele não tentasse mais repetir aquilo, mas não contente ele tentou se meter no lado direito de um ônibus, mas só parou quando o ônibus deu uma freada em nossa frente, por sorte os reflexos do veinho ainda eram bons, parou a moto junto com o ônibus, se eu não estivesse me segurando na moto, eu estaria com a cabeça dentro do escapamento do ônibus. Segundos depois de tal fato, meu tio olha pra trás, com aquele sorriso amarelo: "Hehe" e eu com aquela cara de espanto: "Eh... ainda não foi dessa vez". Depois de o ônibus ter ficado para trás, me senti em uma arrancada, começou a correr pela avenida, 80kmph, ultrapassando vários carros, pelo lado esquerdo... chegamos em nosso tão esperado destino!

  Enquanto eu arrumava o computador, ele trazia uma bandeija com 5 lanches O_O e dois copos de suco. Arrumei a bagaceira e liguei o computador, testei a net e entrei no msn. Fiquei enchendo o saco da Natália no msn, os dois ligaram a cam e ficamos de palhaçada huashasa, interessante como ela consegue atender o telefone, segurar com o ombro e usar as duas mãos para outras coisas (6), acho que só eu não consigo executar tal ato.


Finalmente em casa! Agora me da licença que estou indo no banheiro passar um fax para New Jersey.

sábado, 2 de agosto de 2008

dια 02 ▫ Ação Social e Cidadania

Hoje foi um dia corrido.

Todo ano em Mongaguá tem o "Ação Social e Cidadania", um evento com varias atividades gratuitas: cortar o cabelo, fazer as unhas, tirar RG e Carteira de Trabalho; palestras sobre drogas e DST, etc. Pra começar bem o dia, os computadores que a gente tava trabalhando não queriam ligar. Nós da Tricolor, estávamos encarregados de distribuir fotografias 3x4 – apenas para aqueles que fossem fazer algum tipo de documento, ali, na hora –, só que deu um pobrema lá na fiação e os computadores não pegavam de jeito ninhum. Depois de muitas horas perdidas, um peão lá da prefeitura conseguiu dar um jeito na energia.



Depois do expediente, fui dar uma volta com o Rodrigo (cunhado do meu pai) por ali nos arredores da Av. Dudu Samba. Eu já to com uma rouquidão e uma tosse desgraçada... Fomos em um stand que falava sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis. Ficamos passeando por dentro de uns túneisinhos que tinha lá dentro, e no final tinha uma tia gorda perguntando se a gente sabia por uma camisinha. Eu, como sempre, querendo fazer graça disse pra ela: “Que nada, isso eu deixo pra minha namorada...”. “Então você é machista? Você acha mesmo que é ela que tem que por em você?”. Eu já vi que a mina não tava de bom humor, e com aquela cara de bunda que fiquei resolvi calar a boca, mas a cagada já tava feita... "Abre a camisinha e coloca nesse supositório". E lá vai o bestão... “Não é pra rasgar com os dentes! Tem que puxar a ponta”. Depois de aberta, eu peguei a camisinha e estiquei... “NÃO TEM QUE ESTICAR! Coloca ela e puxa a pontinha. Ta vendo essa pontinha? Então, essa que tem que puxar. Olha como é que faz”. Ainda bem que não tive que pegar na porra daquele consolo! E àquela altura todo mundo ali na salinha já tinha descoberto a minha virgindade, então agora nem cola mais aquele papo de que sou comedor.
Saímos de lá e resolvemos ir almoçar uma gororoba de arroz com frango e uma "salada" que tinha lá. Dentro do Jacozão (uma quadra esportiva que tava servindo de improviso como refeitório), eu vi uma garota que era da minha sala, a Paola. Cumprimentei ela e achei engraçado, porque um dias antes ela tinha comentado que me viu, sendo que nem era eu 'haha. Até brinquei e disse na hora “agora sou eu mesmo”, ou algo parecido.
Na volta pra nossa barraca de 3x4, vi um tanto de gente feia pelo caminho... E por falar em gente feia, até vi um moleque da minha sala, o Jhonatan, que me viu lá e ficou rindo com uma cara de besta. Depois vi o Jé cortando o cabelo 'haha, a mulher tava fazendo uns picotes cabulosos na cabeça dele; tive até que me afastar pra não rir.


Com todo esse papo de cabelo, isso me lembra que eu tinha que relatar isso: Assim que voltei para casa, pedi para minha mãe pintar meu cabelo. Depois de muito chorar e espernear, ela se rendeu e fez a minha vontade – mentira, ela que comprou a tinta.
Engraçado, sempre que você vai ao cabeleireiro, corta, muda a cor, sempre fica SuperFashion na hora, agradável; você sai de lá todo felizão, mas depois que seca o cabelo, você dorme e se olha no espelho no outro dia, ta um caco. Foi bem isso que aconteceu, na hora ficou aquele preto azulado muitxhu louco, depois que secou, fiquei a cara do Professor Snape. Uma pena não ter tirado fotos na hora. Mas umas semaninhas depois eu até que acostumei.


© [1] 2007 Warner Bros. Ent.
_________________________________________________________________________________

Postagenzinha sem graça, não? E só de pensar que eu levei 1 ano e 2 meses pra digitar isso...

Só pra constar:
Eu fiquei mais de um ano sem postar nada nesse blog porque tava com muita preguiça de organizar, escrever e terminar os textos que se acumularam no computador.
Vou fazer um esforço pra mandar tudo que ta atrasado.
Nem todos os textos foram escritos na mesma data que o fato ocorrido – esse aqui é um bom exemplo.
Portanto: colocarei a data do dia e a data de digitação, só pra clarear as idéias, até o blog ficar em dia.

E eu aqui justificando tudo como se alguém tivesse lendo, 'haha.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

dια 25 ▫ Todas as Noites

Estava eu, dormindo, como um bebê, feliz e tranqüilo. Como sempre, alegria de pobre dura pouco... Ouço um barulho distante, saindo de meus sonhos e voltado a realidade, percebo que é a porra do despertador, que minha mãe colocou em meu quarto. Depois de ter jogado o utensílio contra parede, foi a vez de perceber que a janela aberta, fazia aquele sol filho de um puta iluminar a minha cara e torrar os meus miolos.

Saindo do meu quarto, vou ao quintal, de lá eu fico olhando para o céu azul, - sim, eu vi isto na televisão - olhos ardentes, tentei continuar, já lacrimejando e com o mesmo sol, amiguinho do despertador, eu resolvi desistir, ohh, lá se foi uma guerra, e eu a perdi.

Passando pelo corredor, comecei a tossir que nem um condenado, sorte um médico não ter visto, me internaria achando que eu fosse tuberculoso... Poderia ser pior, um padre tentando me exorcizar. Ta bom, chega de exageros, passando pela cozinha, peguei um remédio, enchi o potinho e engoli aquilo, não me pergunte o que era, só sei que tinha bom cheiro.

Chegando aqui, - em meu quarto - ligo o computador, e começo a escrever. Procurando uma música para entreter, fui na pasta “Capital Inicial” em busca de “Geração Coca Cola”, eu sei que eles gravaram essa música, mas à que tenho é do Legião Urbana, foda-se, ouvindo ela, como se nada mais pudesse atrapalhar, me vem aquela vontade... Abro a janela, e lá se vai saindo pela minha boca um catarrão grande, volumoso e amarelo... ou não, talvez verde. Ainda tenho minhas duvidas se aquilo caiu na cabeça de alguém... ok, eu não moro em prédio, não descarto a opção de ter caído em uma formiga ou um acaro!

Já que eu já escrevi tudo que tinha direito, vamos aproveitar que essa postagem está pequena... Eu gosto muito de viver à noite, motivo pra não conseguir olhar pro céu [?]. É nela que passo meus melhores momentos com amigos, o horário que as pessoas mais fazem sexo, bandidos roubam lojas, e uma porção de coisas legais ou não legais.

Agora indo direto ao assunto, para finalizar essa palhaçada toda, vai uma música cantada pelo Capital Inicial, não sei se é deles ou se foi só interpretação... Todas as Noites.

Todas as noites são iguais
Os meninos satisfeitos e as meninas querem mais
Sonhos caem como chuva
E é tarde demais, eu não consigo dizer não

Hoje à noite tudo pode acontecer
Quem olhar nos olhos vê bares e sedução
Num canto escuro pequenos goles de solidão
A noite esclarece o que o dia escondeu, eh...
O que o dia escondeu...

Meia noite, noite inteira, 3, 4, 5 da manhã
Eu vou embora, mas eu sempre volto atrás
Porque as noites são todas iguais!
Todas iguais

Todas as noites são iguais
De longe os disfarces parecem reais
Mãos me vestem como luva
E é tarde demais, eu não consigo dizer não

Hoje à noite é cedo até amanhecer
Quem olhar nos olhos vê estrelas no chão
Num canto escuro pequenos goles de solidão
A noite esclarece o que o dia escondeu, yeah...
O que o dia escondeu

Meia noite, noite inteira, 3, 4, 5 da manhã
Eu vou embora, mas eu sempre volto atrás
Porque as noites são todas iguais!
Todas iguais

na, na, na, na,na...
na, na, na, na,na...
na, na, na, na,na...
na, na, na, na,na...

Meia noite, noite inteira, 3, 4, 5 da manhã
Eu vou embora, mas eu sempre volto atrás
Porque as noites são todas iguais!
Todas iguais

Meia noite, noite inteira, 3, 4, 5 da manhã
Eu vou embora, mas eu sempre volto atrás
Porque as noites são todas iguais!
Todas iguais...
Todas iguais...
Todas iguais...

sexta-feira, 18 de julho de 2008

dια 18 ▫ Orelhas Furadas

Hoje depois de muito ajudar na Tricolor eu fiquei enchendo o saco do Thiago pra ir comigo na lojinha da Av. Marina. Depois de muito tempo ele concordou – sobre chantagem –. Quando chegamos lá eu falei com a minazinha que eu queria furar as orelhas, ela falou pra eu escolher um par de brinco e disse que eram todos o mesmo preço, então eu escolhi um de pedra transparente que tinha lá. Ela disse que não ia doer nada, e que era rapidinho. Aí ela pegou a canetinha roxa pra marcar onde ia ser o furo e marcou a minha orelha. Eu falei "Já furou *-*?", hsahuashu, ela deu risada e disse não, eu tava querendo fazer piada pra descontrair e pra ver se ela se interessava em mim (vai saber). A muié pegou a pistolinha lá, encaixou o brinco nela e colocou na minha orelha, ela apertou que eu não senti nada, só depois que veio um estalo do caralho. Eu contorci a cara toda, mas só que 10 segundos depois a dor tinha passado. Quando ela perguntou se eu queria só um furo, dois furos em uma, ou um em cada, eu disse que queria um furo em cada uma :S. Então lá foi ela furar a outra.

Saímos de lá entramos na lojinha do lado pra pegar umas fotos, logo já reparei que tinham duas garotas olhando pra mim, eu pensei que era por causa da porra do brinco, elas me acharam veado ou acharam maneiro.


Chegamos na Tricolor e fui correndo pro banheiro pra ver como tinha ficado, olhei no espelho e eu tava com uma puta cara de bicha. Ficou bastante afeminado, mas aí coloquei o boné e ficou um pouco mais homem haeooiheaihoeaihoea.


Não me lembro mais dos fatos, então vou colocar as fotos. :P – Foi só uma rima idiota, porque só vou por uma foto –.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

dια 16 ▫ Farra em casa

Quarta feira entediante, faltei ao trabalho, e lá estava a linha do telefone livre e me chamando. Ficar em casa o dia inteiro na internet zuando, é engraçado. Mas ficar na internet o dia inteiro, com amigos, zuando os outros, é muito melhor.
Telefonei para o meu amigo Leonardo, veio ele e o Guilherme aqui em casa. O dia inteiro falando merda, jogando papo pro ar, fazendo graça e importunando o povo no msn. É engraçado saber que meus amigos não me conhecem tão bem, o Leonardo e o irmão dele ficaram mexendo no computador... incrível como ninguém notou a diferença, de como ele digita, e como eu digito. Pois ae vai um trecho de algumas conversas.


Leonardo diz:

Entra na minha comu ae http://www.orkut.com.br/Community.aspx?cmm=53926505
João Paulo diz:
5 real
Leonardo diz:
blz pega minha senha de conta na suíça e retira lá o dinheiro ou entaum pega com daniel dantas ou celso pinta
João Paulo diz:
a ta bom, mc? LEONARDO NO SEU QUADRADO
Leonardo diz:
leonardo no seu redondo
João Paulo diz:
FAZ UM CHURRASCO
Leonardo diz:
só se for de gato
João Paulo diz:
hahahahahha o raul tem um ae?
Leonardo diz:
naum, mas tem uns rato q core pela casa dele de noite, cada rato grandao q parece gato

Depois dessas conversas sem nexo, o zé ligou a cam para minha amiga, e ela achando que eu estava digitando, quando a imagem chegou pra ela, só se via aquela boca cheia de dentes do infeliz, as amídalas, quase que engolindo a web cam. A imagem travou, quando abrimos a janela, eu e o Guilherme começamos a rir sem parar, o coitado até bateu a cabeça na parede, tadinho. Mas melhor que isso... só quando ele estava mexendo no pc, ele tava sentando na cadeira, e o Leonardo mostrou pra ele uma capa de um filme pornográfico. Ele ficou olhando tão entretido... Foi quando o Leonardo gritou pra ele: TÁ FICANDO DURO NÉ!!
Eu comecei a rachar... o Guilherme assustado caiu de costas, quase quebrou minha cadeira, mas nem quis saber, única coisa que quis, foi dar uma gargalhada daquela cena.
Nem tão mais engraçado, mas não poderia ser descartada, esta conversa que eu ri só de ver.

Leonardo diz:oi, td bem??

Mary diz:sim,e você?

Leonardo diz:
tbm, q bom pra ambos

Mary:
=^.^=

Leonardo diz:
o raul mandou um beijo

Mary:
mande outro.

Leonardo diz:
ele mandou outro

Mary:
manda um abraço.

Leonardo diz:
tah

Mary:
ja volto

Leonardo diz:
Tah, vou aguardar

Leonardo diz:
raul perguntou se vc jah voltou??

Leonardo diz:
vc num respondeu, axo q num voltou ainda né?

Leonardo diz:
e agora??

AUHUHAhuahuAUHauhUHAuhaUHUHAuhauHAUHauhHUa kkkkkkkkk, depois de reler isso... prefiro não comentar...

segunda-feira, 14 de julho de 2008

dια 14 ▫ Férias!

Fica avisado que eu não postei isso no dia, então como minha cabeça já não é mais a de antigamente, eu não lembrei de todos os detalhes...

Segunda-feira. Dia de sol, finalmente a semana de acabar as aulas , vou eu pra escola todo feliz. Chegando lá não havia quase ninguém, da minha sala só havia uma pessoa . Antes de cair fora, fui conversar com minhas amigas da 7ª Série. 50 minutos depois lá estavam: Eu, Alexia e Thainara, os três bolando aula. Elas me falaram que se eu fosse ao fliperama com elas, as duas iriam ver o preço do alargador comigo, pena que a body-piercing estava fechada. Depois disso ficamos passeando pelo centro da cidade, pra quem não mora lá talvez seja divertido, mas pra mim que estou ali desde pequeno, trabalho, e sou envolvido com aquela cidade; não tem muita graça. O que valeu foi a companhia delas. Fomos ao fliperama, lá eu paguei duas fichas pra elas, uma pra mim, e ainda sobrou uns troco. Eu todo feliz jogando na maquina X-Men vs Street Fighter, certo de que iria vencer, perdi por causa do maldito time, depois de fechar aquela maquina 3 vezes invictas, usando Storm e Cyclops, eu me vi ali um lixo, tudo bem, é a idade! Lá no fliper apareceram duas amigas delas. Eu sempre via elas na escola, nunca havíamos conversado, nesse dia nos conhecemos, muito gente boa elas. Depois de muito andar, beijar na boca, tomar sorvete... hein? ham? o quê que foi? hum? Então, depois de andar e ficar causando pela cidade - Ta bom, não é pra tanto - Como, um bom rapaz trabalhador, resolvi voltar para Tricolor, com o cabelo todo despenteado, porque o meu boné eu tive que dar para Thainara, confesso, ela ficou gatinha com ele.
Chegando lá, me vem a noticia que se eu tivesse chego 10 minutos antes, eu pegaria uma carona com meu pai, que estava indo para Santos.
Mais uma vez seguindo a velha rotina, pegando o maldito buzão...

Eu to sem idéia pra escrever o resto, preguiça de pensar, vou acabar aqui.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

dια 11 ▫ Ultimos dias de aula

Hoje foi um dia legal, principalmente na escola...
As férias estavam por vim, e já haviam poucos alunos, parece ser brincadeira, mas o que aconteceu foi de ir os alunos ruins e bagunceiros, e os cdf’s não comparecerem.

Muita guerrinha de papel e giz, movendo as mesas de um canto para o outro... Até o professor de português fomos irritar, não é muito normal conversamos com ele, é um cara meio fechado, mas é muito gente boa. Eles ficaram falando de futebol lá, e eu no meio sem falar nada porque nem curto. Era legal falar que meu amigo Jefferson estava na parada gay de São Paulo, ele é sempre o mais zuado da sala, mas ele leva na brincadeira, os que mais aprontam na 8ª A são: Jefferson Diniz e Raul Izar.

Nos anos anteriores na escola, eu sempre fui distante de meus amigos, eu era muito tímido, e quando eu via alguma galera junto, se divertindo, eu não ia pro meio, eu ficava no meu canto só criticando e achando tão sem graça. Sou do tipo que nunca participo das festinhas, das quadrilhas, das excursões, em geral... Mas hoje foi diferente, nos juntamos, resolvemos todos não fazer a lição de matemática, e aquilo, pra mim, foi foda, ver as patricinhas, junto com os palhaços, os maloqueiros e os cdf’s, todos juntos contado piadas. Era divertido ver a cara deles, vermelhos de rir, quando eu contava alguma piada sem nexo ou tosca, ou até mesmo a minha, rindo de alguma que só eu havia entendido.
É bacana ser o popular da sala ou o centro das atenções, quando eu entro pela aquela porta eu vejo que alguns alunos sentem admiração por mim, não estou querendo me gabar... mas já tentaram me colocar de coordenador da sala nos primeiros dias de aula. Bom ver que aqueles alunos exluidos da sala, os que ficam quietos em seu canto fazendo lição, e nunca conversam com ninguém, dando um sorriso quando você senta perto deles; uma menina que eu nem falo, outro dia veio me dar uma bala. Tento dar atenção a todos, é disso que eles precisam, de uma oportunidade de se mostrarem legais. Eu tive essa oportunidade, ou talvez seja bajulado por ser o repetente da sala de aula hehe.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

dια 10 ▫ Sweeney Todd

Vamos lá. Eu assisti Sweeney Todd, muito bom, assistam. Mas um sucesso do Johnny com o Tim. Fodastico.





Essa postagem foi em especial para: Natália, Leticia, Mary Simons, Má'Suka, Tia/Jeh, Mell/Paty, Annyele, Larissa...

sexta-feira, 13 de junho de 2008

dια 13 ▫ Dia dos namorados?

Depois de uma longa pausa, nada melhor que um texto grandinho.
Pô cara, eu to muito feliz depois de ter visto um filme porno aí...
o Barato do cara era duas vezes menor que o meu, o que me consola, saber que o meu não é o menor do mundo.


Essa semana até que foi sinistra. Dia 09, eu e o Leonardo ficamo aqui zuando na net, vendo umas minazinhas na web cam, horas depois de muita "brincadeira", agente teve que sair, pra ir na festa do irmão dele Guilherme. Meia hora na despedida com as garotas, tentando convencer elas a dar um selinho... sem sucesso elas falaram que só dariam, se nos dessemos também ; foi ai que desistimos da idéia.
Na festa do Guilherme, depois de brincarmos de bexiga, bola, comer bolo, guaraná, muitos doces pra você; voltei para o meu humilde lar.

Confinado em meu quarto até dia 11, com muita agilidade, usando a internet escondido...
resolvi ler meus e-mails, fiquei muito encabulado com este:








 

Dia 12, dia dos namorados, eu sem ninguém pra me dar um presente...
Resolvi sair da toca, no trabalho perdi o dia fazendo uma capa de DVD, só porque toda vez que eu a terminava eu a deletava. Capa refeita 3 vezes, termina e atualizada.
Ficar em casa não tem tanta graça, estudar as vezes é bom, exercita o cerebro . Chegando na escola, vejo aquela multidão de crianças, que olhavam um animal morto, que estava jogando no rio, uns diziam ser um porco, outros dizem ser um cão, mas não vem ao caso.
Sem encontrar nenhum de meus amigos na entrada, vou para sala de aula com aquela cara de tacho, lá dentro, percebi que com minha ausencia muita coisa mudou, a porta sem mais 5 pedaços, o teto sem 3 lampadas e a parede cada vez mais rabiscada.

Bate o sinal, finalmente hora do irtervalo, com a idéia de meus melhores amigos terem faltado, me assustei com o arrastão que me puxou: Vanessa, Bia, Alexia... eu sei que sou legal, mas nem tanto para morrer de saudades. Logo logo já me fizeram cumprir minha promessa, de ficar com uma amiga delas, ela é bonita, simpatica e beija bem também...
O que me deixou meio constrangido foi ter recebido no mesmo dia um bilhete "minha boca quer conhecer a sua! Kadê? Vamos apresenta-lás", putz, eu nunca pego ninguém, mas quando aparece vem umas três, quatro tudo de uma vez.
Hoje conversei pela primeira vez com a minha mais nova filha, aquela que tinha me dado o chocolate. Acho que esse ano tem sido o melhor, não sei se é porque perdi a timidez, pelos amigos novos que eu fiz, muitos, porque a terra é redonda e oxigenio é quadrado.

Aula vaga, volto pra tricolor, chegando lá já me deram broncas por foto de mulher pelada que guardaram com meu nome, me deram trabalho, ir na lan house baixar músicas, uma coisa muito dificil e chata, mas como bom funcionario eu fui né. Baixadas: Chiclete Com Banana - Ele Não Monta Na Lambreta e Àgua Mineral. Umas que eu peguei para mim: Foo Fighters - Everlong, The Killers -
Mr. Brightside, 30 Seconds To Mars - Beautfiul Lie e From Yesterday, U2 - Beautiful Day e uma com significado especial, Bush - Letting The Cables Sleep.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

dια 06 ▫ Briga básica

Dias anteriores não houve nada de legal, só vou constar hoje.

Hoje fui pra escola, vi o pôster e a revistinha pornô da Vanessa, depois fiquei sabendo que tem uma mina que quer ficar comigo, daí outra menina me deu um chocolate, tudo bem que eu não conheço ela mas valew néah!. Voltando pra sala de aula, uma mina atacou errorex na minha camiseta preta, puta que pariu, além de passar o errorex no cabelo da amiga dela, eu fui na diretoria, a mina teve surto, xilique, locona. A Diretora perguntou pra ela, por que ela tinha feito aquilo, daí ela disse que era vingança, eu já falei, Ta vendo, essa menina é louca, eu nem converso com ela, ela nem tem motivos pra isso. Ai a menina começou a falar coisas que nada ver... Depois ela soltou que tem raiva de mim porque eu não quis namorar ela, falou que eu usei ela...
É cada louco que aparece.

Voltei pra casa, mechi no pc, durmi. Legal não!?

sexta-feira, 30 de maio de 2008

dια 30 ▫ Amiguinhas carnivoras

Hoje o dia começou com um problema, aquele problema que todo homem um dia já teve, acordar em ponto de bala , porra eu tava com uma calça apertada, aquela dor insuportável, fui no banheiro, fiz de tudo mas o baguio não abaixava , nessas horas você nem sabe o que fazer, e pra passar em frente da sua mãe sem que ela perceba? Hora depois “ele” já tinha voltado a dormir , e eu fui trabalhar, lá na loja compraram uma câmera fotográfica nova, Cânon, não sei o modelo só sei que é muito foda, depois de vários testes, me colocando pra correr, pra testar como fica a foto em movimento...
Fui à escola, no caminho tava todo feliz que meu cabelo tava bunito e talz , nem fui com boné, quando to chegando, cai mó chuva, meu cabelo fico todo lambido, cheguei lá com aquela franja na cara; até imagino o que pensaram de mim . Pra minha sorte eu levei um boné. A professora de história tava passando qualquer coisa lá da Rússia. Caralho, nós moramos no Brasil, velho, a merda da história do Brasil já não me agrada, muito menos a de paises alheios, um exemplo é o Jornal nacional, se o bagulho é “nacional” por que passa coisas de outros paises? Então chamasse “Jornal Internacional”, só não vou falar nada por que eu assisto... Depois de olhar pra cara chata do professor de matemática, fomos para o recreio sauhasuh, intervalo, não demorou muito tempo pra minha amiga Vanessa me agarrar, andando abraçado pra lá e pra cá, imaginando o que passava na cabeça dos outros ao ver aquela cena... Chega a minha outra amiga, Thalita, minha suposta filha. Andando abraçado pra lá e pra cá [2], elas, carnívoras, não contentes em brigar por mim inteiro resolveram dividir, a Vanessa mordeu meu braço, a Thalita mordeu meu mamilo, caracas, queriam me comer literalmente, sorte que sobrou pelo menos o meu cérebro e minhas mãos para poder contar os fatos, não podendo esquecer do abraço coletivo com mais outras duas . Depois de várias mordidas, chupadas e apertões na bunda ... volto para maldita sala de aula; com o excesso de faltas nem sabia que ia ter prova naquele dia, chego lá, cópia feita, nem minha agilidade e reflexos me ajudaram a colar do Canarinho , o professor é um saco, me contentei a deixar sem resposta mesmo. Sem nada de interessante a fazer, a não ser bater com guarda-chuva na minha amiga Leilane... Toca o sinal; aula vaga pra noes .

Chegando na Loja, surrupiei do computador uma pasta nova, cheia de vídeos clipes, só bandas e músicas fodonas. Nickelback, Guns, Coldplay, Creed etc. fiquei mó felizão .

Anoite fui na casa do Leonardo pra assistir um filme tosco que eu aluguei – Com o Pé Na Estrada - , era muito sarro, o barato tinha ice berg até em região de calor.

Voltei pra postar isso, fiquei aqui na net, e fui durmi literalmente cedo, as 05:00.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

dια 28 ▫ 3 em 1

Outra vez, vários dias sem vim aqui. Eu sei que morreram de saudades, mas aqui estou para acabar com ela.

Esses dias não rolou nada =D. Segunda não fui pra Mongaguá, terça eu fui trabalhar, em seguida fui a escola; nem teve nada por lá, fui da uma volta na "biblioteca" da escola, a tiazinha disse que só podia entrar se tivesse cadastro, me cadastrei lá, fiz login e entrei. Como eu nunca leio nada, peguei um livro – O Mundo Mágico de Harry Potter – Aproveitei pra sentar no sofazom que tem lá, até que é interessante. Nesse mesmo dia zoamos muito com a professora de Geografia, eu por exemplo, só cantei uma músiquinha “Vera Ledo, no, seu quadrado, Vera Ledo no seu quadrado” =). Na saída encontrei a Bia e a Alexia bolando aula, brincadeira, só estavam de aula vaga. Fiquei lá conversando com elas – raro isso acontecer – a Bia confessou que tem um patinete, não podia deixar de postar isso, se não fosse pelo fato de ela ainda andar nele...
Chegando na Tricolor (O Lugar que trabalho), tava tudo fechado, caracas fiquei ali com mó cara de bunda, eu tava sem um tustão no bolso, peguei dinheiro emprestado com o cabeleireiro, depois segui meu rumo pra Praia Grande. Na hora de pegar um dos ônibus – depois de uma espera de quase/ou uma hora – chega o motorista, o cara mandou as mulheres com bebes de colo entrar, tudo bem, depois ele mandou um loira gostosa pra caraio, entrar só porque ela estava com a mão enfaixada, eu não vou criticar, eu faria o mesmo.

Depois de esse dia longo sem tomar café da manhã, sem almoçar – É trancaram meu almoço na Tricolor – cheguei em casa e sem pensar duas vezes devorei tudo que vi em cima da mesa, não contente e cheio de fome, fui na casa do meu amigo Leonardo (o do tiro), lá ninguém me ofereceu nada pra comer, então saímos pra ir em alguma lan house; eu já tava dois dias sem entrar na internet, isso quase me matou. Depois de um longo percurso a lan tava lotada, com preguiça de sentar a bunda e esperar fomos embora, dar uma volta no Samambaia, conversamos da escola que eu estudava e que ele estuda; ao passar lá em frente da até um aperto no coração, que vontade de voltar pra lá, pras minhas raízes :P. Se eu não repetir de ano novamente, no 3º colegial eu rumo pra lá.

Hoje, faltei de novo, depois de ficar em casa coçando e coçando, fui assistir um filme – Pirates Of The Caribbean - At World’s End – Lembrei até das épocas que eu via esse filme todo dia, como sempre, eu só fui entender o filme depois de assistir pela 6ª vez; confesso que para a maioria é um filme complicado, requer bastante atenção. Cheguei a conclusão que a Elizabeth ficou 10 anos sem dar pra outro cara, ninguém sabe se o filho é do Jack ou do Will – Aposto no Jack, é a cara dele –, e a história das tartarugas marinhas todo mundo fica boiando.


Foi só isso, eu nunca sei como acabar isso aqui, acho que digitei demais por hoje então FUI.

domingo, 25 de maio de 2008

dια 25 ▫ Passado Assustador...

Oi povo xD, finalmente tá chegando segunda feira, não via a hora de sair de casa; com a falta de amigos e de dinheiro nem tenho muito pra onde ir . Putz, se eu falar parece até que eu to brincando, meu melhor amigo levo um tiro na barriga, e não vai poder sair por um bom tempo; o jeito mesmo é ficar em casa.

Hoje eu tava vendo uma fotos minhas, de alguns anos atrás. Caralho, como eu era gordo , eu me lembro até como eu era zuado na escola , eu era até revoltado, depois de tanto ser criticado, teve um dia que eu resolvi mudar, parei de tomar café, não comia mais merenda na escola (não como), e depois mole mole jantava. Deu no que deu, agora to mó magrelo , nem tanto, ainda tem uma barriguinha de chops, eu acho que devo começar um novo regime, ir pra academia sozinho é que eu não vou , bem que pudia ir com algum amigo, se meu melhor amigo não tivesse tomado um tiro na barriga.

Depois eu tava olhando pra minha enorme pança horrivelmente torta e peluda, tem uma coisa que me intriga. Eu tenho um buraco na barriga, não exatamente um buraco, por que se não estaria falando do meu umbigo, não não não não, é um treco meio esquisito. Será que eu fui pra guerra, perdi a memória, e tenho essas marcas de combate? Eu fui revirar meu passado em busca de provas . Procurei na estante um raio-x que eu havia feito quando tinha uns 7 anos, caracas daew eu me lembrei que eu tinha me raio-xizado, porque em um dia daqueles eu tinha engolido uma moeda de 10 centavos , minha intenção não era cagar dinheiro; ainda bem que sobrevivi para contar pra vocês.

Falando em sobreviver, com o tédio desse domingo, assistir Faustão é que não da!
Eu vim pro PC e fiquei conversando com meus amigos no fake, parecia até as épocas de anitgamente, em que meu fake era fodão , pegava quatro mulhé por dia . Bem que ele ta sendo bastante assediado, mas como ele ta ficando com alguém que gosta muito nem da bola pras oferecidas .

O papo lá tava baum, mas tive que sair, minha mãe já tava enchendo o saco pra eu desligar da internet.

Daew fui assistir alguma porcaria que presta, tava vendo aquela matéria dos índios que passou no Fantástico, putz, que bando de arrombado, esses índios são uns verme mesmo, só ficam usufruindo do nosso dinheiro e ainda se revoltam e fazem uma merda daquela, bando de filho da puta. Isso me lembra um dia que eu tava numa lanhouse em Mongaguá e veio um bando daqueles fedidinhos. Puta que pariu, foi um fedor danado, ninguém merece esses cuzeiros.

Acabou-se o Fantástico, voltei aqui só pra postar essa bagaça, espero que comentem e DIGA NÃO AO VEADO DO ÍNDIO prontofaleijáeranãotemmaisvolta.


00:13
PS.: Eu tinha acabado a postagem, mas não resisti, e vim dizer que a 5 minutos atrás minha mãe tropeçou no fio do telefone e saiu cambaleando, tudo bem que caiu a net, mas o que vale é rir da desgraça alheia.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

dια 23 ▫ Shed A Tear Cause I'm Missing You

dια 30 ▫ Ai Ai, continuo na mesma rotina.
Por incrível que pareça eu sonhei denovo com a mesma pessoa . Dessa vez foi pra acabar comigo, sonhei que finalmente havíamos nos conhecido, depois eu a acompanhava até a escola e em seguida a beijava .
Parece até brincadeira; ontem quando falei com ela, uma das ultimas coisas que me disse ao se despedir foi "bons sonhos", seriam bons se estivéssemos juntos. Não consigo acreditar porque tudo acabou, penso nela a cada 25hrs do dia; tem vezes que queria poder voltar no tempo, só para deixar tudo como antes .

Fora o sonho que me deixou pra baixo o dia inteiro, hoje meu sobrinho estava aqui em casa, quando acordei fui lá fora pra brincar com ele, putz, eu vi todos os meus brinquedos, que eu guardo até hoje, tudo detonados, caracas. Eu guardei todos em sacos plásticos, grampeei e em seguida guardei em caixas de sapato, husauhashsuauhsa, quero ver ele pegar denovo haha . Depois usei do meu crescimento em excesso para trocar as lâmpadas da casa, pelo menos pra isso sou útil. Falando em crescimento, depois de anos e anos com um guarda roupa bagunçado, resolvi dar uma revisão xD, encontrei roupas ali que ganhei quando tinha uns 10 anos, e o melhor, todas ainda servem; como é bom imagreçer, poucos sabem que eu também já fui obeso
hehe agora me chamam de raquítico.


Com o tédio do feriado, fiquei metade do dia assistindo televisão. Depois vim arrumar umas coisas no computador, umas músicas para por em minha comunidade.
Aproveitando para fazer o merchandising:
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=39088533
Como a maioria dos leitores dessa joça são telespectadores do 15 Minutos MTV, to aproveitando a ocasião né!

23:39
Quando eu penso que tudo tava nas ultimas, eu ainda fico pior. Minha mãe estava aqui mechendo no computador, eu fui lá fora pra tomar um vento, tentar esquecer o sofrimento; foi uma péssima idéia, eu não consigo parar de pensar em você. Eu já gostei de tantas garotas, já me decepcionei com várias, nunca derramei uma lágrima por qualquer uma delas, agora porque com você eu derramei várias? Não sei onde isso vai dar, estou cada vez pior.

Não vejo a hora de chegar segunda feira, dia de aula, só na escola, vendo os amigos, só assim eu esqueço dos problemas.