sábado, 2 de agosto de 2008

dια 02 ▫ Ação Social e Cidadania

Hoje foi um dia corrido.

Todo ano em Mongaguá tem o "Ação Social e Cidadania", um evento com varias atividades gratuitas: cortar o cabelo, fazer as unhas, tirar RG e Carteira de Trabalho; palestras sobre drogas e DST, etc. Pra começar bem o dia, os computadores que a gente tava trabalhando não queriam ligar. Nós da Tricolor, estávamos encarregados de distribuir fotografias 3x4 – apenas para aqueles que fossem fazer algum tipo de documento, ali, na hora –, só que deu um pobrema lá na fiação e os computadores não pegavam de jeito ninhum. Depois de muitas horas perdidas, um peão lá da prefeitura conseguiu dar um jeito na energia.



Depois do expediente, fui dar uma volta com o Rodrigo (cunhado do meu pai) por ali nos arredores da Av. Dudu Samba. Eu já to com uma rouquidão e uma tosse desgraçada... Fomos em um stand que falava sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis. Ficamos passeando por dentro de uns túneisinhos que tinha lá dentro, e no final tinha uma tia gorda perguntando se a gente sabia por uma camisinha. Eu, como sempre, querendo fazer graça disse pra ela: “Que nada, isso eu deixo pra minha namorada...”. “Então você é machista? Você acha mesmo que é ela que tem que por em você?”. Eu já vi que a mina não tava de bom humor, e com aquela cara de bunda que fiquei resolvi calar a boca, mas a cagada já tava feita... "Abre a camisinha e coloca nesse supositório". E lá vai o bestão... “Não é pra rasgar com os dentes! Tem que puxar a ponta”. Depois de aberta, eu peguei a camisinha e estiquei... “NÃO TEM QUE ESTICAR! Coloca ela e puxa a pontinha. Ta vendo essa pontinha? Então, essa que tem que puxar. Olha como é que faz”. Ainda bem que não tive que pegar na porra daquele consolo! E àquela altura todo mundo ali na salinha já tinha descoberto a minha virgindade, então agora nem cola mais aquele papo de que sou comedor.
Saímos de lá e resolvemos ir almoçar uma gororoba de arroz com frango e uma "salada" que tinha lá. Dentro do Jacozão (uma quadra esportiva que tava servindo de improviso como refeitório), eu vi uma garota que era da minha sala, a Paola. Cumprimentei ela e achei engraçado, porque um dias antes ela tinha comentado que me viu, sendo que nem era eu 'haha. Até brinquei e disse na hora “agora sou eu mesmo”, ou algo parecido.
Na volta pra nossa barraca de 3x4, vi um tanto de gente feia pelo caminho... E por falar em gente feia, até vi um moleque da minha sala, o Jhonatan, que me viu lá e ficou rindo com uma cara de besta. Depois vi o Jé cortando o cabelo 'haha, a mulher tava fazendo uns picotes cabulosos na cabeça dele; tive até que me afastar pra não rir.


Com todo esse papo de cabelo, isso me lembra que eu tinha que relatar isso: Assim que voltei para casa, pedi para minha mãe pintar meu cabelo. Depois de muito chorar e espernear, ela se rendeu e fez a minha vontade – mentira, ela que comprou a tinta.
Engraçado, sempre que você vai ao cabeleireiro, corta, muda a cor, sempre fica SuperFashion na hora, agradável; você sai de lá todo felizão, mas depois que seca o cabelo, você dorme e se olha no espelho no outro dia, ta um caco. Foi bem isso que aconteceu, na hora ficou aquele preto azulado muitxhu louco, depois que secou, fiquei a cara do Professor Snape. Uma pena não ter tirado fotos na hora. Mas umas semaninhas depois eu até que acostumei.


© [1] 2007 Warner Bros. Ent.
_________________________________________________________________________________

Postagenzinha sem graça, não? E só de pensar que eu levei 1 ano e 2 meses pra digitar isso...

Só pra constar:
Eu fiquei mais de um ano sem postar nada nesse blog porque tava com muita preguiça de organizar, escrever e terminar os textos que se acumularam no computador.
Vou fazer um esforço pra mandar tudo que ta atrasado.
Nem todos os textos foram escritos na mesma data que o fato ocorrido – esse aqui é um bom exemplo.
Portanto: colocarei a data do dia e a data de digitação, só pra clarear as idéias, até o blog ficar em dia.

E eu aqui justificando tudo como se alguém tivesse lendo, 'haha.