quinta-feira, 6 de maio de 2010

dια 06 ▫ Minha fogosa ex-namorada

Minha ex-namorada era um horror; a garota mais trabunco da facul.
Sempre me perguntavam porque um cara tão bonito como eu namorava alguém como ela.
Dinheiro? Não... Ficaria feio se eu dissesse o verdadeiro motivo. Mais pra frente irei contar. Mas lhe garanto que não era beleza interior.

Nos conhecemos em uma festa, e eu estava pra lá de bêbado. Nunca estive tão bêbado em toda a minha vida – deu pra compreender um dos motivos.
Quando a olhei, estava sem meus óculos, e o efeito do álcool me fez só reparar nas curvas do corpo dela.
Já estava passando mal, caído em uma poltrona, quando ela chegou em mim, subindo pelo meu corpo em direção à minha boca.
Do beijo eu não lembro bem, estava mais preocupado com o lugar em que a minha mão se encontrava.

Quando saíamos para eventos sociais, minha acompanhante sempre me dava vergonha, mas me consolava olhar para o seu vestido e prever a transa que teríamos, todas as noites.
Nunca fixava muito a face dela, acho que pra não perder o tesão.
Todo dia eu perguntava pro meu santo-querido Deus porque diabos ele aprontou isso com a pobre coitada. Um corpo tão perfeito, nos mínimos detalhes, e uma cabeça que nem cirurgia plástica ou softwares de manipulação de imagens conseguiriam dar um jeito.

Aqueles mais atentos já mataram a charada.
Ela fazia sexo como ninguém sabe fazer.
Abaixo do pescoço era tudo de mais divino que qualquer mulher poderia me oferecer.

Hoje não estou mais com ela.
Ainda me pergunto se era uma relação apenas carnal; extrema luxúria.
Talvez eu fosse meio que 'ninfomaníaco', mas hoje eu sei que estou melhor sem ela.
Agora tenho que confessar: sinto falta daqueles fartos seios com aqueles enormes mamilos rosados!


Escrito: 06/05/2010 15h50m - Digitalizado e Retocado: 07/05/2010 21h27m - Postado: 07/05/2010 23h42