quinta-feira, 2 de maio de 2013

dια 02 ▫

Durante este longo tempo que não posto nada significativo neste blog,
muita coisa mudou - como sempre.
Dentre elas, eu ter começado a namorar e, ter terminado o namoro. Hoje.
Bem, e minha namorada - atualmente, ex - sempre se queixou de que nunca postei nada aqui pra ela. E isso também me afligia. Mas enfim, aqui vai então:


Não tenho experiência para afirmar isto, mas com base no que vivi, deu pra perceber que relacionamentos não acabam bem. Nem que force isso.

Eu aqui fazendo o tipinho de quem está de "luto", por consideração e respeito, mas vejo que tudo isso é desnecessário, afinal de contas, você já está muito bem, não é mesmo?

Sei lá. Nunca quis namorar, e das únicas "duas vezes" que fiz isto, foi pra me foder.
Garotas farsantes, que tudo que sabem fazer é enganar. E continuam até mesmo depois do rompimento. Por quê? O que vocês ganham com isso?

Não preciso e nem vou mais ficar escondendo a real: ESTOU LIVRE.
Nunca me senti tão liberto em toda minha vida!
Sem compromissos, sem julgamentos, falsas demonstrações de ciúmes, frustração, amor e etc.
Sabe essa sensação de ter saído de uma ilusão que te consumia? É a que estou sentindo agora.


E, bem, já que não é possível responder o que ela me mandou antes de me bloquear, vou simplesmente desabafar aqui:

"É muito forte esse sentimento, e com certeza não vai passar de um dia pro outro".
Claro. Não demorou tudo isso.

"Você foi o melhor, e eu duvido muito que alguém possa tirar isso de você".
Aham, assim como os anteriores. Pff.
Não dou uma semana para esse "alguém" aparecer. Ou menos.

"Mas o que eu estou sentindo, é uma falta de ar, um aperto no peito, tão grande e intenso. Não para".
Claro. Sinceramente, alguém que - diz que - se sente assim deveria morrer de uma vez.

"Sei que um dia ficarei bem".
Nossa, que bom que esse dia foi o mesmo em que recebi esta mensagem! Fico realmente feliz por você! Já está pronta pra outra! E outros. ;)

"...ate quem sabe um dia você me procurar".
Aham. Claro. Melhor já encomendar um caixão de qualidade por uma agradável espera.


Tudo o que me resta agora é agradecer pelos - poucos - bons momentos e, parabenizar, por ter conseguido fingir todo esse tipo de merda por tanto tempo.

Então: Obrigado. Parabéns. Adeus.