segunda-feira, 1 de novembro de 2010

dια 01 ▫ Avatar

Demorou, mas eu assisti Avatar.

Tem horas que me sinto inútil e meio fora de órbita por não estar no mesmo passo do resto das pessoas comuns.
Enquanto todos buscam por algo apenas porque os demais puseram este algo em um pedestal, me recuso a me misturar com a demasiada massa, me direcionando ao meu próprio gosto.
São raras as vezes em que gosto do que os outros gostam, mas nunca simplesmente porque os outros gostam. Com os filmes são assim. Se eu gostar de um filme, será pelas razões que encontrei ao ver aquele filme, fruto da minha opinião, o que claro, pode ser igual a sua, a dele, ou a dela, mas não com base de informações influenciais.

Como eu disse, é uma questão de ter a minha própria opinião. MINHA PRÓPRIA OPINIÃO.
Não seria humano se não a tivesse, mas não tão humano a ponto de deixá-la formada por outro.

Sem complicações: estou cansado de ver pessoas fúteis dizendo e encadeando comentários sobre determinadas coisas, seja aprovando, ou desaprovando.
Sem mais complicações: estou cansado de ver pessoas fúteis fazendo a cabeça das outras falando bem ou mal de algo, e pessoas mais fúteis ainda se entregando a esse poder manipulativo.

Eu assisti Avatar. Muito tempo depois da grande massa. E eu gostei.


Engraçado, todo mundo que eu conheço disse o contrário. Amigos meus metidos a inteligentes, metidos a cinéfilos, intelectuais, derivados e, mais um pouco.

Não encontrei nenhum motivo que não seja previsível para que o filme seja indigno.

É tosco? Sentimentalista? Óbvio? Cansativo? Sim.
Acho que não são motivos o suficiente para criticar.
Direto ao ponto: não são bons argumentos para querer ser contrário ao mundo, usando ao máximo da hipocrisia, apenas para chamar atenção para ninguém mais além de si mesmo.

O filme tem a sua mensagem. Suas mensagens*.
Podemos dizer que o roteiro não fora perfeito, usando um enredo clichê para desencadear a estória. Mas ora, qual filme não é assim? Corrigindo: qual filme de sucesso não é assim?*
Ausente de tamanho estrelismo, já vi alguns, e "alguns", digo no sentido de "poucos".

Mais uma vez sendo contrário a todo o humanismo, a cultura, prototípicos da humanidade, eu tenho que comentar: Se o Cinema foi criado apenas para a Arte, Fotografia, Sonoplastia e todas as outras coisas que o obrigam a ser tão profissional, pra mim, ele nada mais é do que um grande e enorme vaso repleto de dejetos fecais.
Tenho meu lado culto e perfeccionista perspectivo, mas fico revoltado quando os auto-suficientes exageram em ditos adjetivos.
Um filme pra mim, na categoria do próprio Avatar, é visto como forma de Entretenimento.
Por que os Cinéfilos e a Mídia acabam com a graça disto com todo o seu intelectualismo?

Eu não virei fã de Avatar, mas tive que escrever isto. Por mim, pelo filme. Que merece o respeito que lhe foi dado, assim como as indicações e os prêmios que recebera.
Visualmente lindo, emocionalmente bem construído. Anos de trabalho... dignos.