sexta-feira, 25 de setembro de 2009

dια 25 ▫ I'm always gonna worry about the things that could make us cold

Por favor, depois que ler isso, esqueça tudo que acabo de lhe falar.

Me sinto tão imbecil te contanto essas coisas...
mas uma hora eu tinha que desabafar, pois você é a única que tinha que saber disto:


Eu tentei tanto me convencer de que não gostava mais de você,
que acabei me convencendo disso.

Eu só queria te dizer que mesmo que eu tente negar isso,
eu ainda te amo.
Eu precisava te dizer isso uma hora ou outra, e embora eu me convença,
sempre chego novamente à essa conclusão.
Eu te amo, sempre te amei e acho que pra sempre vou te amar.

Sei que você não é pra mim, e eu não sou pra você.
Foi tolice minha ter acreditado naquela história boba de alma-gêmea.
Mas como você mesma disse, eu era imaturo.
Continuo sendo o mesmo idiota, talvez até um pouco mais,
mas agora eu sei que amadureci bastante. Graças a você, e eu te agradeço por isso.


Tive que ferir meu orgulho e vim aqui te dizer que eu amo tudo em você,
até mesmo essa sua arrogância e as suas mudanças de personalidade.

No dia que voltei a falar contigo, foi o dia mais feliz da minha vida.
Depois de vários meses de angustia, ter você perto de mim, seja lá como, já era muito bom.


Me desculpe se ultimamente eu tenho sido tão estúpido.
Faço tantas coisas repugnantes... mas saiba que bem no fundo, ainda sou o mesmo.
Aquele bobo e ingênuo, romântico e carinhoso, que você um dia disse gostar.


Não acreditava que “amar é sentir na felicidade do outro a própria felicidade”.
Eu realmente quero que você seje muito feliz; com quem quer que seja.
Mas saiba que eu sempre estarei aqui por você,
e por você, e somente por você, eu estaria disposto a mudar.

E se isso não acontecer,
me contento com a nossa amizade, que é a coisa mais preciosa que tenho hoje. (L'